Missão Calebe

Programa Jovem – O que falta para você ser um Amigo da Esperança?

  

Programa Relacionado ao Tema Jovem 2011.

Central de Diretores JA, Fonte.


Autora: Priscila P. Silva

 

Musica de abertura: CD Jovem 2011 – Amigos da Esperança – faixa 5

Abertura:

Vivemos em um mundo sem esperança. As pessoas já não esperam nada de bom umas das outras. Os cientistas afirmam que nosso planeta não suportará mais os abusos do ser humano. Se continuarmos a viver com os mesmos luxos e com o índice de crescimento tecnológico que temos hoje o planeta não suportará mais 50 anos.

Temos armamento nuclear capazes de destruir vários planetas Terra. E se o homem decidir usar isso? Os países que mais poluem não querem interromper o crescimento industrial, por isso compram cotas de países que poluem menos. O que fazer? Esperar o fim?

Essa é visão daqueles que não tem esperança de um futuro melhor. Mas nós fazemos parte de um grupo diferente, aqueles que são amigos da esperança. Nossa grande esperança é o advento de Cristo. Só Ele pode restaurar essa Terra e o coração do ser humano.

Apresentador: Nosso mundo perdeu as esperanças porque faltam alguns ingredientes essenciais. Hoje ao longo do nosso culto veremos alguns desses ingredientes.

 

à Colocar na frente da igreja um cartaz escrito: “O que você precisa ter para ser um amigo da esperança?” antes do início do culto jovem

 

Ato 1 – AMOR (2personagens: 2 mulheres)

 

Janice: Oi Ionice e aí como vai sua mãe? Ouvi dizer que ela estava com a saúde debilitada. Isso é verdade?

Ionice: Sim Janice, os médicos diagnosticaram que minha mãe está com pneumonia, que é uma doença muito séria para quem já é idoso.

Janice: Estive fora por 1 ano estudando e estou desatualizada das notícias. E aí? Como você e seu irmão estão lhe dando com essa situação? A Dona Vanda ainda está no hospital? Vocês precisam de alguma ajuda?

Ionice: Na verdade não precisamos de ajuda. Desde o começo do ano passado quando ela pegou dengue e tivemos que levá-la ao hospital, vimos que era muito difícil deixar de fazer nossas atividades para cuidar dela. Eu, por exemplo, trabalho o dia todo e quando chego em casa nem tenho tempo, pois ainda tenho que arrumar minha casa e fazer várias coisas. Meu irmão faz faculdade e estuda, também não tem tempo. Achamos melhor pra mamãe que ela fosse internada numa casa pra idosos. Já tem um tempo que eles não ligam lá pra casa, não sei se ela melhorou.

Janice: Mas Ionice, você nem sabe como ela está agora? Eu quero visitá-la qual o endereço onde ela está? É aqui em nossa cidade mesmo?

Ionice: Sim, é aqui. Depois te passo o endereço por telefone, não sei direito como chegar até lá. Não pense que não amamos a mamãe, é claro que meu irmão e eu fomos bem cuidadosos na escolha da casa, pois o dinheiro da pensão dela não é muita coisa e não podíamos pagar qualquer lugar. Também vendemos a casa dela que estava em nosso nome e dividimos o dinheiro. Assim, podemos investir ao invés de ter que esperar até que ela morra. Tadinha da mamãe, ela já não agüentava mais cuidar daquela casa tão grande.

Janice: Com qual freqüência você visita sua mãe?

Ionice: Ahhh… ela não precisa da nossa visita, lá tem muitos médicos e enfermeiras, além de outras pessoas que estão internadas lá. Ano passado fui visitá-la no dia das mães e no aniversário dela. Ela ficou super feliz com o presente que levei pra ela.

Janice: Imagino a felicidade que a Dona Vanda ficou ao vê-la, depois de tanto tempo. E o que você levou pra ela?

Ionice: Ahh…Realmente ela ficou muito feliz, mas não gosto de ir lá muitas vezes, pois ela fica pedindo pra vir embora. Ela não entendi o que é melhor para ela. Mas sobre o presente, eu levei um bom creme de pele e um desodorante muito cheiroso… Ela falou que há muito tempo não usava creme de pele e desodorante, ela ficou super emocionada. Não sei porque ela tem toda essa preocupação em ficar cheirosa. Lá naquele lugar não tem nada de novo mesmo. Você não acha?

Janice: Eu não posso acreditar em tudo que ouvi hoje. Coitada da Dona Vanda de ter você como filha. Tchau, seu monstro!

Ionice: Que mulherzinha sem educação. Estou aqui perdendo meu tempo para contar as coisas pra ela e ela me trata assim…. Não consigo entender porque a mamãe gostava tanto dessa desaforada.

Apresentador: (Entra em cena e entrega um cartaz, feito de papel cartão vermelho escrito no centro AMOR, pra Janice. Ela o fixa no cartaz e sai de cena)

Vocês já notaram como atualmente é fácil vermos cenas como essa? Já não nos espantamos mais. A falta de amor é algo cotidiano em nosso meio. Mas não pense você que a falta de amor é exclusiva dos não-cristãos. Nós não amamos como deveríamos. Estamos tão atarefados essa é uma das nossas desculpas prediletas. Gastamos todo nosso tempo somente com nossos próprios interesses ou mesmo desejamos tantas coisas que gastamos todos nossos recursos financeiros para comprar aquele celular, aquela calça da moda, aquela sandália …

O quê da nossa vida temos dedicado ao nosso próximo? Muitos precisam do nosso apoio, não necessariamente o financeiro. Muitos querem apenas atenção, ou ouvir palavras de ânimo quando sentem-se fracassados.

O mundo perdeu as esperanças porque o amor se esgotou. E para piorar as coisas o mundo não consegue ver esse amor nem dentro da igreja.

Concurso bíblico: Caça versículo bíblico de cego

Convidar três duplas para irem à frente da igreja. Ter algumas passagens bíblicas escritas em uma folha de ofício para mostrar os participantes e a igreja. Colocar três cadeiras à frente da igreja. Um dos participantes de cada dupla senta-se na cadeira e o outro fica em pé atrás da cadeira. Os participantes que estarão sentados devem ter seus olhos vendados e uma Bíblia na mão. O apresentador do concurso mostra a passagem bíblica para os participantes que estiverem de pé e para a congregação. O participante de olhos vendados deve encontrar a passagem bíblica de acordo com as dicas do participante que estiver atrás (dicas: pra frente, pra trás, próxima página, volta duas páginas, etc) Não pode falar a passagem bíblica. A dupla que achar o maior número de passagens bíblicas com o menor tempo vence.

Ato 2 – PERDÃO (3 personagens: 2 homens e 1 mulher )

 

Juarez: Larissa, você fez aquela planilha que te pedi? Estou precisando dela agora.

Larissa: Juarez, me perdoa, onde estive tão atarefada que esqueci completamente, mas vou fazê-la agora mesmo, com licença.

Juarez: (gritando) Com licença nada, você é uma INCOMPETENTE não consegue fazer nada direito. Pra ter uma secretária como você é preferível não ter ninguém. Quero essa planilha em minha mesa em cinco minutos. Sua distraída. Desse jeito vai ficar desempregada.

Larissa: Desculpe, senhor vou fazê-la agora mesmo.

Guilherme: Juarez, Como sou seu amigo e gosto muito de você gostaria de te falar algumas coisas se você me permite.

Conheça a Escola Centro Nipônico Adventista- Clique no logo acima

Compartilhe você também!!!

Parcerias

Esse livro é parte de uma grande campanha desenvolvida nos últimos anos em favor da esperança. É uma seleção de 11 capítulos curtos, simples, mas provocativos. Discutem algumas das questões que mais interessam a todos nós, como: o porquê do sofrimento, a verdadeira paz, a vida após a morte e a vitória final do amor de Deus. A boa notícia é que há uma luz no fim. E essa luz está chegando até nós, para iluminar o nosso caminho.